15 de ago de 2015

Resenha: Chernobyl Diaries


Olá pessoal, mais um filme aqui no blog e assim, esse é um dos meus queridinhos porque antes de assistir o filme eu vi as fotos de lá e a história, fiquei com bastante curiosidade quando soube que tinha filme. Depois de assistir ainda fiz um trabalho que era sobre turismo mórbido e claro, coloquei Chernobyl. Pra quem não sabe, eu faço turismo na Faetec.

Chernobyl é um local fantasma localizado na Ucrânia, em meados da década de 70 foi construída uma central nuclear no noroeste da cidade, enquanto estava sendo construída uma cidade, Pripyat, maior e mais perto foi designada aos trabalhadores. Em 26 de abril de 1986 os operários perderam o controle dos testes realizados no reator número 4 e ele explodiu liberando bastante radiação contaminando pessoas, animais e o meio ambiente. 

Em 2002 foi liberada para turismo e é um dos mais procurados na Ucrânia, eu iria mas como ainda tem radiação eles não se responsabilizam caso houver algum problema na sua saúde por conta da radiação, afinal, você está indo porque quer e sabe dos riscos, mas é bem difícil isso acontecer, pelo menos agora. Quando o acidente aconteceu, muitos morreram e alguns tiveram riscos de formar doenças e se não formaram, ainda vão formar. Mas será que a radiação criou alguma mutação ou está criando? Não negarei que acredito nisso, mas seria um chok.

Sobre o filme:

Lançamento: 13 de julho de 2012 - Brasil
25 de maio de 2012 - EUA
Roteiro: Oren Peli
Companhia: Alcon Entertaiment
Produtora: Filmnation Entertaiment; Oren Peli/Brian Witten Productions
Distribuidora: Warner Bros
Gênero: Suspense, terror
Elenco: Jesse McCartney ( Chris )
Jonathan Sadowski ( Paul )
Devin Kelley ( Amanda )
Olivia Taylor Dudley ( Natalie )
Nathan Phillips ( Michael )
Ingrid Bolso Berdal ( Zoe )
Dimitri Diatchenko ( Uri )
Duração: 86 min

Um grupo de amigos estavam planejando viajar, até Paul falar sobre um passeio "radical" que todos iam gostar, seu irmão Chris não gostou da ideia mas ele era o "único" que não queria ir, nessas horas que temos que dar ouvidos ao "estraga prazer" do grupo.

Quando chegaram na agência de turismo do guia, encontraram mais 2 turistas que também iam. Ao chegar na fronteira do local, os militares disseram ao Uri, o guia ex militar, que não podiam ir por conta de alguma manutenção/experimento no local se eu não me engano. Mas Uri não aceitou e foi por um atalho, a maioria gostou comemorando porque antes achavam que o passeio tinha babado. 

O passeio pelo local foi encantador aos olhos dos turistas, com um pouco de receio, aventura e suspense, o trajeto foi incrível para eles, mesmo tendo algumas surpresas pelo caminho. Mas quando chegaram na van, algo de errado tinha acontecido. 

Então pessoal, eu gostei do filme, é um dos meus queridinhos. Podia ser melhor? Sim, porque podiam explicar o que estava acontecendo e largar um pouco o drama e clichê de todo filme. Não entendo de cinematografia mas achei a filmagem comum, nada de "Uauuuuu", o filme dá alguns sustos e quando chega perto do final, você fica preso pensando no que vai acontecer e o que está acontecendo. Também podiam dar mais visibilidade às criaturas de lá, acharia legal se no final ( não é spoiler ), alguém explicasse o que aconteceu ou o porquê, não precisaria ser longo mas algo resumido, até uma frase se quisesse.  


                                     










Fotos de Chernobyl pelo fotógrafo Roland Verant

Nenhum comentário:

Postar um comentário